sexta-feira, 13 de março de 2009

A dança do universo

Sinceramente eu não sei quem dança mais nessa vida, se os sentimentais, os canalhas ou os canalhas sentimentais.
Se as histéricas, as inteligentes ou as lindamente burras.
Eu só acredito nos deuses de dançam,
seja no terreiro, nas nuvens ou na pista.
Não economize seus calçados, seus pés, suas dobradiças.
Nêga, contigo eu me derreto qual manteiga.
Porque eu tenho, tu tens, ELE TEM.


Essas são as palavras de Xico Sá na abertura deste clip:

Palavras mágicas, a meu ver. E eu assino embaixo!
Às vezes eu me sinto um canalha sentimental, e só acredito em deuses dançantes.
Uma vez li num horóscopo que o verbo do meu signo era EU TENHO. Vai saber...


Ah! E é verdade, eu me derreto...

quarta-feira, 4 de março de 2009

I do


I really do.

P.S. E lembrem-se das palavras de Drummond, amar é um verbo intransitivo.

Ideal de Eu

Uma de minhas manias, como meu grande amigo Antônio astutamente percebeu, é fazer listas.
Obviamente, como pessoa imersa na cultura pop ocidental, minhas listas preferidas são as TOP 10.
Então de tempos em tempos eu soltarei algumas delas por aqui.
A PRIMEIRA DELAS É DE PERSONAGENS que me inspiram e que, num momento ou outro eu disse pra mim mesmo “Eu queria ser que nem esse cara!”

1. Alan Shore (Boston Legal)
2. William Adama (Battlestar Galactica)
3. Luke Danes (Gilmore girls)
4. John Locke (Lost)
5. Jim Halpert (The Office)
6. Morpheus (Matrix)
7. Han Solo (Star Wars)
8. Obi-Wan Kenobi (Star Wars)
9. Mr. Eko (Lost)
10. Mr. Wolf (Pulp Fiction)

terça-feira, 3 de março de 2009

às vezes

Essa é uma música antiga e obscura do Engenheiros do Havaii que vira e mexe eu me deparo com ela e ela sempre tem alguma coisa interessante a dizer sobre mim.



Não É Sempre

Composição: Humberto Gessinger
Às vezes parece que eu não tenho medo
Às vezes parece que eu não tenho dúvidas
Às vezes parece que eu não tenho...
.. Nenhuma razão pra chorar

Você esquece que eu não sou de ferro
(Até o ferro pode enferrujar)
Você esquece que eu não sou de aço
E faço questão de provar:
"Olhe pra mim.... enquanto eu me quebro"

Às vezes parece que eu tenho muito medo
Às vezes parece que eu só tenho dúvidas
Às vezes parece que eu não tenho...
.. Nenhuma chance de escapar

Acontece que eu não nasci ontem
(Até hoje sempre escapei com vida)
Pra quem duvida de tudo que eu faço
Eu faço questão de provar:
"Olhe pra mim.. enquanto... desapareço no ar"

Não queira estar no meu lugar
Não queira estar em lugar nenhum
Às vezes tudo muda
E continua tudo no mesmo lugar

Não queira estar no meu lugar
Não queira estar em lugar nenhum (UM LUGAR COMUM)
Às vezes uma prece ajuda
Às vezes nem adiante rezar

Já desisti de ser uma pessoa só
Já desisti de ser uma multidão
Já não ponho todas as fichas na mesa
Agora ... jogo algumas no chão
Jogo algumas no chão

Às vezes tudo, às vezes nada
Às vezes tudo ou nada, às vezes 50%
Às vezes a todo momento, às vezes nunca
Como tudo na vida, não é sempre

Às vezes de bem com a vida, às vezes de mau humor
Às vezes sem saída, às vezes seja onde for
Não é sempre, não é sempre
Como tudo na vida... nunca é sempre

segunda-feira, 2 de março de 2009

Asas

Faço do meu cansaço um sonho.
Me tornando anjo almejo
a infinita celeste
avistando pequeninos lá embaixo
minhas ânsias e temores
transformo minha esperança
num reino onírico
e deslizo no véu noturno
qual virgem em leito sedoso.
O sol me arrebata ao chão
tal como fez com Ícaro.
Mas me levanto e continuo,
pois sei que à noite terei asas.

Tonight we dine in hell!!!


Da série "Idéias que eu queria ter tido"


Fotógrafo

Aí vai o link de algumas fotos que eu tirei na minha viagem à Europa. Ensaios de um amador. Espero que gostem.


ensaio Artístico - Europa

Nêga Fulô



Algumas semanas atrás eu tive um dia muito ruim, e durante esse dia me veio a frase "Eu tô sofrendo feito uma mulher negra." Achei até engraçado essa idéia e ela me ajudou a passar o resto do dia.
Bom, esse pensamento foi guardado e ficou fermentando nos porões da minha cabeça até que hoje, enquanto eu ouvia Nina Simone cantar "Don't let me be misunderstood" (muito boa a versão, recomendo, tem no iutubi), me veio essa inspiração.
Espero que gostem, Acho que todos nós, mais cedo ou mais tarde, temos um dia de mulher negra.
Deus abençoe as mulheres negras

Carlos A. C. Peroni

Deus abençoe as mulheres negras
Suas curvas hiperbólicas,
Suas carnes generosas,
Seu leite, que jorra branco
Dos mamilos carvão
Deus abençoe as mulheres negras
Deus abençoe as mulheres negras
Pela alegria de seu sorriso
Ora tímido, ora irrestrito
Seus dentes, grandes e alvos,
A iluminar o rosto lustroso
Deus abençoe as mulheres negras
Deus abençoe as mulheres negras
Pelo seu gozo potente
Pelas suas coxas fortes
Que nos acolhem e apertam
E roubam nosso fôlego
Deus abençoe as mulheres negras
Deus abençoe as mulheres negras
Pelas lágrimas que vertem, abundantes e salgadas,
E escorrem atrapalhadas pela vergonha
Pois elas carregam o sofrimento do mundo
Pois elas encarnam o lombo que recebe o açoite
Deus abençoe as mulheres negras

Taking names

Como diria Al Pacino em The Devil´s advocate, “I have so many names...” Carlos, Carlos Alberto, Carlinhos, Carlitos, Caco, Cacá, Carlos Charles, Peroni, Peronídio, Peronildo, Peroninho, Perôba, Pê, Pêpê, Peperoni, Dom Pepone, Pepo, Padim, Crêuter, Mestre, Chicória, Nonó, Mozinho (em desuso), Nêgo... As várias pessoas que passaram pela minha vida deixaram marcas, grandes e pequenas, e me chamaram de um desses nomes. Fica aqui meu agradecimento, que continuem me chamando!