sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Tá na boca, na ponta da língua


Tem algumas palavras pelas quais eu tenho uma afeição especial, elas são gostosas de falar, parece que têm uma espécie de magia nelas.
Uma delas é Mixórdia. Quem fala mixórdia ganha uma espécie de poder.
Experiente falar “Vou acabar com essa mixórdia!” Isso te coloca acima da bagunça, incólume.
Incólume também é uma palavra boa.
Mas as palavras relacionadas à bagunça costumam ser boas. Balbúrdia é excelente!
Tem uma outra que curiosamente o Houaiss coloca como sinônimo de mixórdia: gororoba.
Comer uma gororoba é muito melhor que comer uma comida ruim.
Assim como ir pro xilindró é muito melhor que ser preso. A gente se sente um personagem de Ariano Suassuna.
Se eu fosse um personagem de Ariano eu queria ter um cupincha. Cupincha é ótimo! Já imaginou você ter pau-mandados também? Muito melhor que subalternos.
Mas a minha favorita é goiaba. Goiaba é quase um mantra, é mais gostosa do que a fruta em si. É tão boa que os gringos tentaram copiar: “guava”. Mas guava é reta. Quando a gente fala goiaba é como se nossa língua passeasse por cada curva da palavra.
Tão boa quanto goiaba é bunda. (Frase esquisita se colocada fora de contexto né?)
Mas vejam, como no caso anterior, “ass” é reta. Não tem as curvas da nossa bunda. Isso é brazuca! O cú de Portugal também é reto. (Haja trocadilho!)
Fique claro que estou falando de palavras aqui. Significante e não significado, como diria Saussure.
Eu poderia entrar aqui na sonoridade das palavras de cunho sexual e especular sobre o efeito delas em nossa carne, mas isso fica pra outro post. Já me sinto Lacaniano o bastante por hoje.

4 comentários:

Lua disse...

Delicius! (essa palavra também é boa! redondinha e até meio suculenta... E suculenta? Ai, viu? quem mandou dar corda?) Adorei o post.

neo-orkuteiro disse...

Falando em dar corda...
Viajei no seu post, amigo.
As palavras também nos permitem esses passeios amenos e divertidos.
E pelo que há de palavras, haja maionese!
Tembém tenho minhas simpatias e antipatias por palavras.
Sarandalha parece bem na sua linha. Saramandaia é uma variante. Pandemônio então, é um tremendo Denorex. E mergulho como mistura de m- com bagulho!
Xi, tem é coisa pra se comentar. Parei.

Paulo-Roberto Andel disse...

muito bom, carlô.

quando rola um chope carioca?

braxxx

veronica disse...

VOCE E UM GRANDE POETA CAMUFLADO...AMO TROCADILHOS. NO NORDESTE,DE ONDE EU SOU...DE ONDE ARIANO SUASSUNA E... ,FALAMOS MUITAS PALAVRAS QUE O RESTO DO MUNDO NAO ENTENDE.AS VEZES NOS CHAMAM DE PARAIBA...NEM IMPORTA O ESTADO DE ONDE SOMOS. OXENTE...BICHINHO...VISSE...MACACHEIRA,JERIMUN..TAPIOCA,CUSCUS,PAMONHA...CANGICA, SAUDADE E BANZO...VEM DO NEGROS...TAPIOCA TAMBEM...TUDO ASSOCIADO AO SINCRETISMO...TUDO E BRASIL...SO FALAMOS UM IDIOMA...MAS NO SUL E SUDESTE, FALAM CANTANDO, NO NORDESTE CABRA MACHO TEM QUE PEXEIRA...SE ENCRECAR CAPA O SUJEITO...
FALAMOS DIFERENTE...MAS FALAMOS BRASILEIRO... OU PORTUGUES?
AMEI TEU BLOG.