segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

It's bad for ya.


Atenção para os sintomas de que você está escutando música ruim:
1- A banda que você está escutando tem o nome do ritmo que eles tocam no nome?
2- O vocalista te mandou tirar o pé do chão?
3- Eles tem uma música que cita o nome da banda na letra?
4- Alguma música da banda ou cantor fala de "pegar mulher", "beber até cair" , "curtir a balada" ou combinações destes temas?
5- Na músicas dessa banda é
comum insinuar ou se referir às mulheres como "vagabundas", "vadias" ou interesseiras?
6- Nas letras a banda referência a partes pudendas do corpo utilizando-se de apelidos engraçadinhos?
7- O vocalista mandou as mulheres "descerem até o chão"?
8- As músicas têm coreografias ou "passinhos"?

Se o que você está escutando apresenta 3 ou mais destes sintomas, cuidado! Você pode estar ouvindo música cocô.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

It's evolution, Baby!!!

Me irrita esse papo de conexão com a natureza.
Eu quero asfalto, carpete e luz elétrica.
E tudo que vem com isso!
Natureza é o cacete!

Fala Pessoa!

sexta-feira, 27 de julho de 2012

"To be or not to be"

 “You may be a monster, but you’re funny. I’ll give you that.”
“I’m not a monster,” said Shadow.
“Aye, that’s what monsters always say,” said the little man. “I was a specialist once. In St. Andrews. Now I’m in general practice. Well, I was. I’m semiretired. Go in to the surgery a couple of days a week, just to keep my hand in.”
“Why do you say I’m a monster?” asked Shadow.
“Because,” said the little man, lifting his whisky glass with the air of one making an irrefutable point, “I am something of a monster myself. Like calls to like. We are all monsters, are we not? Glorious monsters, shambling through the swamps of unreason….”
From "The Monarch of  Glen" by Neil Gaiman

quinta-feira, 19 de julho de 2012

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Of Bears and (Wo)Men


Algumas piadas tem lições valiosas.
Essa é uma delas:

Um caçador um dia resolveu que queria caçar um urso polar, e esta caça seria o grande troféu da sua coleção.
Então ele colocou sua espingarda no ombro e foi para o pólo norte, a fim de encontrar a grande besta.
Chegando lá, procurou por dias e dias sem ver nem sinal de urso. Até que numa tarde, enquanto estava distraído, sentiu um tapinha no ombro.
Quando se virou, era o urso!
O caçador caiu de susto, tentou se arrastar pra escapar do ataque, mas o urso, com um olhar calmo, apenas levantou uma pata de disse “Calma! Vamos conversar. O que você veio fazer aqui?”
“Vim caçar um urso branco.”
“Então só tem duas saídas dessa situação pra você: ou eu te mato e te devoro agora, ou você me dá a bundinha e eu deixo você escapar vivo. O que vai ser?”
O caçador, ainda atônito com toda a situação, conseguiu olhar em volta pra ver se não tinha ninguém olhando e por fim abaixou as calças e virou as costas pro urso...
Mais tarde, enquanto voltava pra casa ele jurou vingança. Vou pendurar a cabeça daquele filho da puta em cima da minha lareira!”
Ele se preparou e no ano seguinte voltou, com armas mais potentes e armadilhas.
E outra vez numa tarde modorrenta ele sentiu o tapinha no ombro...
O urso então disse “Você já sabe como é...”
De novo, ao voltar pra casa, sentando de lado por causa do traseiro dolorido, ele prometeu a si mesmo “Vou pegar aquele urso nem que seja a última coisa que eu faça na vida!”
E no outro ano lá estava ele de volta, com armas, armadilhas, GPS e outros equipamentos de última geração.
Tudo em vão, numa noite ele foi acordado pelo urso.
Dessa vez o urso se sentou, olhou bem sério para o caçador e disse:
“Cara, fala sério! Você não vem aqui pra caçar urso não, né?”

Então sempre quando ouço uma mulher reclamando que não agüenta mais sair com caras babacas eu digo “Sabe, isso me lembra uma piada...”

terça-feira, 20 de março de 2012

Summer

Não tenho nada contra o outono.
Mas eu mesmo sempre fui um homem de verão, o que aqui em Brasília pode ser traduzido como seca. Essa abominação chuvosa e enlameada que teoricamente acabou agora não merece ser chamada de verão.
Verão é o sol inclemente, a pele exposta, pernas e braços, o suor…
Manja mulher suada? Que beleza! Nada como o sol refletindo numa pele suada de mulher, não importa a cor dela. E o jeito como aquela penugem da nuca cola na pele suada delas? Hu-hu-humm…
Mas eu digresso.
O verão queima, forja. Põe um fim na orgia primaveril e curte as folhas que forrarão o solo no outono. O inverno tenta copiá-lo, alegando que o gelo também queima, mas tudo que ele consegue é um fac-símile grotesco.
Vocês tem neve? Nós temos suor! E nossos copos transpiram como nós. O vento que te faz tremer e se encolher aí em cima aqui em baixo levanta a saia das meninas.
E desce mais uma gelada que o papo tá bom!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Cars, cars, cars...


No que diz respeito ao sexo, homens e mulheres são como motoristas e carros, respectivamente. O motorista liga pra aparência do carro, as linhas de design, o estofado, se o motor tem uma boa resposta, qual o custo-benefício... Já o carro não liga muito pra aparência do motorista, se este tratá-lo bem, apertar os botões certos, na hora certa e na seqüência certa, o carro estará feliz.

Know thy enemy

"The weapon of the enemy is gift. We must use it against him."

 
Palestra interessante sobre como os ateus podem aprender com alguns métodos usados pelas religiões.