terça-feira, 20 de março de 2012

Summer

Não tenho nada contra o outono.
Mas eu mesmo sempre fui um homem de verão, o que aqui em Brasília pode ser traduzido como seca. Essa abominação chuvosa e enlameada que teoricamente acabou agora não merece ser chamada de verão.
Verão é o sol inclemente, a pele exposta, pernas e braços, o suor…
Manja mulher suada? Que beleza! Nada como o sol refletindo numa pele suada de mulher, não importa a cor dela. E o jeito como aquela penugem da nuca cola na pele suada delas? Hu-hu-humm…
Mas eu digresso.
O verão queima, forja. Põe um fim na orgia primaveril e curte as folhas que forrarão o solo no outono. O inverno tenta copiá-lo, alegando que o gelo também queima, mas tudo que ele consegue é um fac-símile grotesco.
Vocês tem neve? Nós temos suor! E nossos copos transpiram como nós. O vento que te faz tremer e se encolher aí em cima aqui em baixo levanta a saia das meninas.
E desce mais uma gelada que o papo tá bom!

Nenhum comentário: